O tempo e eu

Com tanta rapidez,

Tudo por mim trespassa.

Não sou uma unária vez,

Uma sossegada praça.

Sou pirueta, pinote...

Deste tempo precípite.

Que assim se delicia.

Fugindo para norte.



Gostaria. Mas não o conto.

Quando a qualquer aperto,

Ele vem sem concerto!

Ou quando sou alegria...

Vejam bem!... Quem diria!...

Singular vai e não volta.

Este matreiro artista!


Só queria um dia voar.

Ver as suas asas e eu…

Num só segundo seu,

Numa sombra sossegar!

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo